Carrer de L’ Almudaina - a Rua ideal para conhecer um pouco mais da história de Mallorca

A Carrer (rua) de L’ Almudaina está muito próxima à Catedral e à Prefeitura de Palma. É muito fácil de encontrá-la. Começa na Carrer Palau Reial e termina na Carrer d’en Morei. É bastante estreita e curta. É uma rua típica do centro histórico de Palma de Mallorca com um fantástico acervo cultural. Aqui você conhecerá  casas senhoriais e os seus pátios. Apresentam-se em diversos estilos. Um famoso arco une-se  ao conjunto para lhe dar mais glamour ainda!

A cidade de Palma foi fundada pelos romanos no ano 123 a.C. e Mallorca esteve sob o comando dos árabes de 903 a 1.229.

Todos os nomes que começam por “al” são de origem árabe e Almudaina significa fortaleza (al-mudayna).

Vamos ao assunto e começo pelo primeiro pátio:

 

Can Oleo - Carrer de L’Almudaina nº 4.

A casa é do século XIII. Entretanto no século XV pertenceu a uma família de corsários da Coroa de Aragão chamada Thomàs. O seu nome atual procede da pessoa que foi o seu último proprietário, Francesc Oleo, que era médico. Tem uma extensão de mais de 2000 metros quadrados distribuídos em 4 andares. O que se pode ver e visitar deste edifício, que é protegido como Bien de Interés Cultural, é a entrada principal, ou seja, o seu pátio. Esteja atento aos detalhes da escada gótica do século XV que nos chama a atenção  e que está à esquerda.É única neste gênero na cidade. Está decorada com motivos circulares imitando rosas. 

À direita estão as janelas de estilos renascentista e gótico. Simplesmente fantásticas. Por certo, Can Oleo esteve sob reforma durante 5 anos e foi reinaugurada em 2011.

Atualmente é a Sede da UIB - Universidade das Ilhas Baleares.

 

Seguindo o nosso passeio, a próxima casa chama-se Can Oms - Carrer de L’Almudaina nº 7. Foi propriedade de Jerònim Doms em 1.642. Ele era de origem nobre. Durante os séculos XVII e XVIII foi habitada pela Familia Oms. O pátio é bastante amplo: à esquerda existe um portal com uma decoração gótica, proveniente de uma outra casa. À direita, depois de um bonito artesoado de madeira e os arcos rebaixados está uma cisterna com formato octogonal.

Não deixe de fotografar uma janela que compõe-se com um balcão - em espanhol “ventana balconera” - aí apreciamos o brasão da Familia Oms.

O acesso à casa era feito por umas escadarias com varanda forjada em ferro. Muito elegantes.

 

A outra casa senhorial encontra-se no número 9 - chama-se Can Bordils (também Can Villallonga-Escalada ou Can Sureda-Zanglada). De acordo com a história, este prédio tem a sua origem na época islâmica. Pertenceu à varias famílias e o seu último nome provêm dos “Bordils” que aí habitaram do século XVII ao século XIX.

 

Muito interessantes as duas janelas renascentistas na sua fachada. Em Mallorca, como em muitas cidades da Europa, era muito comum que as famílias com alto poder aquisitivo, tivessem o seu próprio escudo. Este era colocado nas portas, colunas ou janelas, como neste caso. 

Em 1.554 a Familia Sureda-Zanglada a reformou. O pátio de Can Bordils é quadrado e tem arcos nos quatro lados.

Tanto Can Oms como Can Bordils pertencem à Prefeitura de Palma e têm um horário que podem ser visitados e fotografados os seus pátios, ou seja, de segunda-feira à sexta-feira, de 09:00 às 14:00, exceto feriados. Fora destes horários, poderão ser fotografadas da rua.

 

As surpresas não terminaram…

Pegadinhos à Can Bordils, e, sempre está fechado o portão, mas pode-se fotografar perfeitamente, existem dois arcos renascentistas que são resultado de uma reforma  feita no imóvel quando este era habitado, de acordo com informações da Guia de Turismo das Ilhas Baleares, Maria Dolores Garcia Lopez, Lola.

Agora volto a falar dos romanos! Aproveite para fotografar o Arco de L’Almudaina, que com certeza, é a joia da coroa. Era a porta do recinto romano. Esta rua estava dentro da planificação urbana deste Império. Era o "Desumanos Norte". Nos tempos dos árabes foi usada como acesso ao Palácio de la Almudaina, de onde procede o seu nome.

Detrás do Arco existe uma estrutura de cimento usada desde os tempos mais antigos para evitar o golpe das rodas das carruagens. É engenhoso.       

Você verá um divertido mini crocodilo na parede de frente ao Arco. Não se assuste. Ria e muito! Este é fruto da famosa lenda palmesana “El Drac de na Còca”. Dizem que no século XVII um dragão assustava as pessoas que viviam perto da Catedral de Palma e adjacências quando saía de noite para buscar comida…

Mas as suas aventuras terminaram quando o valente Capitão Bartomeu Coc matou-o com a sua espada. Será que era um dragão ou uma pequena lagartixa? Mistérios e dúvidas da natureza!

 

O seu tour chegou ao final. E esta é a esquina da Carrer D’en Morey, outra rua icono em Palma. 

Eu curti muito escrever este blog e dar a você todas as dicas sobre a cidade de Palma de Mallorca que é super interessante.

Quer saber mais coisas ou tem alguma dúvida, é só escrever para  info@eliana-guia.com . Terei muito prazer em esclarecê-la. Achou útil? Por favor, compartilhe com os amigos.

 

Até a próxima vez e muitos abraços de Mallorca,

Eliana Pacifico

Guia Oficial de Turismo das Ilhas Baleares.

 

Meu Facebook e meu Instagram

 

www.eliana-guia.com Blog Feed

O Jardim Botânico de Sóller (lun, 19 jul 2021)
Tanto o Museu de Ciências Naturais (leia aqui) como o jardim botânico estão administrados por varias entidades como por exemplo o Governo das Ilhas Baleares, a Prefeitura de Soller e a Universidade das Ilhas Baleares.   Este jardim começou a ser construído  no ano de 1985 quando surgiram os primeiros sinais do impacto turístico no meio ambiente e muitas especies encontravam-se ameaçadas. Foi aberto à visitação pública em 1992. Estas duas entidades estão situadas em um dos locais mais privilegiados de Mallorca, ou seja, com vistas à Serra de Tramuntana, Patrimônio da Humanidade desde 2011. Um dos principais objetivos de uma entidade como esta é preservar as plantas que estão catalogadas de forma cientifica. Neste lugar as pessoas podem fazer visitas guiadas, participar de workshops e outras atividades, conhecer a vegetação nativa e receber material informativo. A finalidade do Jardim Botânico de Soller, desde o seu começo, foi reconstruir um espaço para acolher toda a vegetação ameaçada de extinção, dando condições às plantas para que elas se auto organizassem. De acordo com a nossa guia, nesta antiga mansão existiam laranjeiras e  limoeiros  que localizavam-se em terraços naturais. Assim que as primeiras coleções criadas, para aproveitar este espaço, foram as da flora balear. Depois disto vieram as das Ilhas Canarias, de outras Ilhas do Mar Mediterrâneo bem como plantas medicinais e ornamentais do resto do mundo. Foram aproveitadas rochas, pedras, áreas de humidade etc. Tivemos a oportunidade de fazer muitas  fotografias e assim daremos uma ideia de como é o único jardim botânico das Ilhas Baleares. Ao desenhar este jardim foram seguidas umas pautas no sentido da separação das plantas e árvores segundo a sua origem e habitat. Flora de Baleares Limonium majoricum - A sua floração ocorre entre os meses de maio e agosto. As suas flores têm uma cor ligeiramente avermelhada. É conhecida como limonio ou saladina e está presente nas dunas e  rochas de Mallorca,  Ibiza e Formentera. Estas plantas adaptam-se a um clima extremamente seco criando inclusive o seu propio solo ao nascer sobre as suas partes mortas. Nas Ilhas Baleares existem mais de 30 especies. Phlomis italica - estepa blanera - as suas flores são rosas e as folhas chamam muito a atenção porque são peludas. Deste modo protege-se da perda de agua.  Florece entre os meses de maio e junho. São encontradas nas montanhas de Mallorca. Tillandsia ou a planta do ar como também é conhecida decora uma das pérgolas do Botânico de Soller. Aqui em Mallorca é muito comum as pessoas ornamentarem as suas varandas ou jardins simplesmente dependurando-a ao ar livre para que esta se nutra do mesmo e das aguas da chuva. As suas folhas têm uma cor cinza, uma base ampla sendo que  as suas extremidades são finas e curvadas. Cistus albidus, conhecida por Roselha-grande, é uma espécie de planta com flor pertencente à família Cistaceae. Juniperus Oxycedrus (Ginebro) - es típico do Mediterrâneo. Suporta os solos calcáreos e arenosos bem como o frio ou o  calor intensos. As suas sementes são utilizadas na fabricação ou aromatização de bebidas. Também encontram-se na elaboração de pratos culinários como o choucrout.  Foeniculum vulgare, popularmente erva-doce[, funcho[ é uma herbácea fortemente aromática comestível utilizada em culinária, em perfumaria e como aromatizante na fabricação de bebidas espirituosas e planta medicinal. O funcho é nativo da bacia do Mediterrâneo, Plantas de áreas rochosas - encontram-se na parte mais elevada do terreno. Destaco a Scabiosa cretica ou a flor dos alfinetes. A sua aparência é similar ao de um alfineteiro. É natural da Europa e da Asia. Olea europaea - oliveira. A Espanha é líder mundial na produção do azeite de oliva. Na frente da oliveira - Euphorbia maresii subsp. balearica O minutum de limão vive em substratos rochosos da costa e é uma das plantas que cresce mais perto da linha costeira. Tem a forma de um pequeno rolamento, com pequenas folhas a emergir numa roseta no ápice de cada ramo. As folhas mortas ficam presas dentro do mato e decompõem-se, dando origem ao húmus orgânico que ocupa o interior do mato. Difere de outros limónios semelhantes que vivem na costa pelas suas inflorescências muito curtas e dispersas.  Anthyllis vulneraria - desde a idade media foi usada como um remédio cicatrizante e antisséptico. Cresce próxima aos prados e estradas. Lomelosia cretica é uma especie de planta vivaz pouco arborizada que perntece à familia da caprifoliáceas. Anteriormente era chamada Scabiosa cretica. Encontra-se nas paredes rocosas, perto dos penhascos em todas as Ilhas Baleares, no sul da  Italia e Sicilia. Flora de água doce e litoral arenoso Plantas típicas de água doce. Uma excelente coleção de samambaias que crescem em ambientes frescos, húmidos e sombrios destacando-se Pteris Vittata. O nenúfar-branco (Nymphaea alba), também conhecida como lírio-de-água-europeu e lótus-branco, é uma planta de floração aquática da família Nymphaeaceae. Ela cresce na água com 30-150 centímetros de profundidade. Pancratium maritimum - típica de dunas e lugares ensolarados do Oceano Atlântico e do Mar Mediterrâneo. Suas folhas apresentam-se retorcidas para poder armazenar a água da chuva. Anthemis marítima - Camomila de mar - uma pequena margarida que encontra-se nas dunas das Ilhas Baleares. Ilhas Canarias São consideradas de uma enorme riqueza floral com mais de 1.800 especies, sendo que 28% são nativas e 25% são oriundas do Mediterrâneo. Além do mais as Ilhas Canarias fazem parte da região macaronésica (ilhas afortunadas) ao lado das Ilhas da Madeira, Açores e Cabo Verde. Aeonium gomerense - típico da Ilha de la Gomera. Suculentes canarias Cactus - uma enorme variedade. Euphorbia canariensis + Drago canariense O divertido e original hotel de 5 estrelas  para os insetos: é usado como ninho ou para hibernação.   Eu estou segura de que se você é um apaixonado pela flora em geral, curtiu um montão esta longa exposicão sobre o Jardim Botânico de Soller. Natureza é vida! Parabéns à Equipe que preserva tão bem este espaço. Até o próximo Elianas Blog com mais novidades sobre a Ilha.   Abraços de Mallorca, Eliana Pacifico Guia Oficial de Turismo das Ilhas Baleares   Meu Facebook e meu Instagram
>> Leer más

Lugares com encanto em Palma (Fri, 25 Jun 2021)
O verde, as flores, o ambiente externo a cada dia estão mais valorizados. Há mais de um ano buscamos espaços abertos nos quais  possamos estar tranquilos e em contato com a natureza. Respirar o ar puro! Para facilitar esta tarefa, o Eliana’s Blog dedicou-se a buscá-los para quando você esteja visitando a cidade de Palma os possa disfrutar e curti-los porque valerá a pena. Plaça de  Quadrado - Plaça Josep Maria Quadrado, está situada no  centro histórico de Palma e possui edificios com estilo maiorquino  que podem ser apreciados enquanto você descansa em um dos seus bancos. Árvores enormes propiciam muita sombra neste lugar até o outono. Desde aqui você verá  uma parte da  Basílica Menor de Sant Francesc (leia aqui) e um prédio modernista que encontra-se no número 9: Can Barceló. É um edificio do mestre de obras  Bartomeu Ferrà Perellò (1843-1924) que o construiu entre 1902 e 1904.  Aqui nos chama a atenção uma vidraças enormes e os azulejos que adornam a fachada. São procedentes de uma antiga fábrica maiorquina que não existe mais e que chamava-se “La Roqueta”. Este predio foi edificado encima de um terreno no qual havia  uma fábrica de tecidos. O seu proprietário era comerciante e decídiu homenagear,  através desta fachada, a sua profissão, a música, a arquitetura, a literatura etc. Alguns elementos decorativos do Modernismo como a aguia, borboleta ou o dragão estão situados na outra fachada do prédio que fica na Carrer Posada de Lluc. São apliques feitos com azulejos. Outro elemento que atrai as nossas vistas é a decoração feita com o  ferro forjado em distintos formatos e desenhos. As cerâmicas  vitrificadas distribuidas por todo o edificio completam a decoração.  A Plaza de la Reina está situada muito próxima à Catedral de Palma e ao Palácio de la Almudaina. Bem no meio da praça situa-se uma fonte que foi redecorada pela Prefeitura de Palma há pouco tempo. Do outro lado, próximo à parada do ônibus,  existe um cantinho que passa quase despercebido pelas pessoas. É um remanso de paz! Neste lugar foi erigido um monumento em homenagem a Joan Alcover (1854-1926), politico, ensaísta e poeta maiorquino muito querido nesta Ilha. Este artista é o autor de muitos poemas, incluindo "La Balanguera" que, posteriormente,  tornou-se o hino oficial de Mallorca. Infelizmente o homenageado não chegou a ver a inauguração deste espaço. Neste lugar existem bancos e uma pequena fonte onde você poderá curtir o vai e vem dos turistas e carros. O paseo des Borne é uma especie de boulevard. Começa na Plaza de las Tortugas (existem 4 tartarugas de ferro que encontram-se debaixo do obelisco) ou como Plaza Rei Juan Carlos I. Por certo bem no alto do obelisco existe outra surpresa…um morcego. Ele faz parte da heráldica do Rei Jaime I, o conquistador de Mallorca. No Paseo des Borne,  uma parte é utilizada pelos pedestres e a outra pelos carros. Além do mais existe um  hotel de 5 estrelas que está localizado em uma  casa senhorial  maiorquina, cafeterias, restaurantes  e um comercio de alto luxo.  Este lugar foi construido encima do leito do Torrente de Sa Riera.  É o lugar ideal para descansar ou aproveitar para fazer compras nas lojas mais conhecidas a nível mundial…Outro destaque fica por conta do Casal Solleric, outra casa senhorial maiorquina que foi transformada em um lugar de exposições pela Prefeitura de Palma. Desde o Paseo des Borne você poderá se deslocar ao Bairro de la Lonja, que é muito concorrido em número de bares e restaurantes, ao Paseo Marítimo de Palma ou à Avenida Jaime III.  Espero que você tenha curtido as fotos e as historias. Quer conhecer Mallorca? Necesita mais informações e dicas? Não se preocupe…escreva para info@eliana-guia.com  Abraços de Mallorca,   Eliana Pacifico Guia Oficial de Turismo em Baleares Meu Facebook e meu Instagram Detalhe da Plaza de Quadrado Detalhe da Plaza de Quadrado
>> Leer más

Escribir comentario

Comentarios: 0