Carrer de L’ Almudaina - a Rua ideal para conhecer um pouco mais da história de Mallorca

A Carrer (rua) de L’ Almudaina está muito próxima à Catedral e à Prefeitura de Palma. É muito fácil de encontrá-la. Começa na Carrer Palau Reial e termina na Carrer d’en Morei. É bastante estreita e curta. É uma rua típica do centro histórico de Palma de Mallorca com um fantástico acervo cultural. Aqui você conhecerá  casas senhoriais e os seus pátios. Apresentam-se em diversos estilos. Um famoso arco une-se  ao conjunto para lhe dar mais glamour ainda!

A cidade de Palma foi fundada pelos romanos no ano 123 a.C. e Mallorca esteve sob o comando dos árabes de 903 a 1.229.

Todos os nomes que começam por “al” são de origem árabe e Almudaina significa fortaleza (al-mudayna).

Vamos ao assunto e começo pelo primeiro pátio:

 

Can Oleo - Carrer de L’Almudaina nº 4.

A casa é do século XIII. Entretanto no século XV pertenceu a uma família de corsários da Coroa de Aragão chamada Thomàs. O seu nome atual procede da pessoa que foi o seu último proprietário, Francesc Oleo, que era médico. Tem uma extensão de mais de 2000 metros quadrados distribuídos em 4 andares. O que se pode ver e visitar deste edifício, que é protegido como Bien de Interés Cultural, é a entrada principal, ou seja, o seu pátio. Esteja atento aos detalhes da escada gótica do século XV que nos chama a atenção  e que está à esquerda.É única neste gênero na cidade. Está decorada com motivos circulares imitando rosas. 

À direita estão as janelas de estilos renascentista e gótico. Simplesmente fantásticas. Por certo, Can Oleo esteve sob reforma durante 5 anos e foi reinaugurada em 2011.

Atualmente é a Sede da UIB - Universidade das Ilhas Baleares.

 

Seguindo o nosso passeio, a próxima casa chama-se Can Oms - Carrer de L’Almudaina nº 7. Foi propriedade de Jerònim Doms em 1.642. Ele era de origem nobre. Durante os séculos XVII e XVIII foi habitada pela Familia Oms. O pátio é bastante amplo: à esquerda existe um portal com uma decoração gótica, proveniente de uma outra casa. À direita, depois de um bonito artesoado de madeira e os arcos rebaixados está uma cisterna com formato octogonal.

Não deixe de fotografar uma janela que compõe-se com um balcão - em espanhol “ventana balconera” - aí apreciamos o brasão da Familia Oms.

O acesso à casa era feito por umas escadarias com varanda forjada em ferro. Muito elegantes.

 

A outra casa senhorial encontra-se no número 9 - chama-se Can Bordils (também Can Villallonga-Escalada ou Can Sureda-Zanglada). De acordo com a história, este prédio tem a sua origem na época islâmica. Pertenceu à varias famílias e o seu último nome provêm dos “Bordils” que aí habitaram do século XVII ao século XIX.

 

Muito interessantes as duas janelas renascentistas na sua fachada. Em Mallorca, como em muitas cidades da Europa, era muito comum que as famílias com alto poder aquisitivo, tivessem o seu próprio escudo. Este era colocado nas portas, colunas ou janelas, como neste caso. 

Em 1.554 a Familia Sureda-Zanglada a reformou. O pátio de Can Bordils é quadrado e tem arcos nos quatro lados.

Tanto Can Oms como Can Bordils pertencem à Prefeitura de Palma e têm um horário que podem ser visitados e fotografados os seus pátios, ou seja, de segunda-feira à sexta-feira, de 09:00 às 14:00, exceto feriados. Fora destes horários, poderão ser fotografadas da rua.

 

As surpresas não terminaram…

Pegadinhos à Can Bordils, e, sempre está fechado o portão, mas pode-se fotografar perfeitamente, existem dois arcos renascentistas que são resultado de uma reforma  feita no imóvel quando este era habitado, de acordo com informações da Guia de Turismo das Ilhas Baleares, Maria Dolores Garcia Lopez, Lola.

Agora volto a falar dos romanos! Aproveite para fotografar o Arco de L’Almudaina, que com certeza, é a joia da coroa. Era a porta do recinto romano. Esta rua estava dentro da planificação urbana deste Império. Era o "Desumanos Norte". Nos tempos dos árabes foi usada como acesso ao Palácio de la Almudaina, de onde procede o seu nome.

Detrás do Arco existe uma estrutura de cimento usada desde os tempos mais antigos para evitar o golpe das rodas das carruagens. É engenhoso.       

Você verá um divertido mini crocodilo na parede de frente ao Arco. Não se assuste. Ria e muito! Este é fruto da famosa lenda palmesana “El Drac de na Còca”. Dizem que no século XVII um dragão assustava as pessoas que viviam perto da Catedral de Palma e adjacências quando saía de noite para buscar comida…

Mas as suas aventuras terminaram quando o valente Capitão Bartomeu Coc matou-o com a sua espada. Será que era um dragão ou uma pequena lagartixa? Mistérios e dúvidas da natureza!

 

O seu tour chegou ao final. E esta é a esquina da Carrer D’en Morey, outra rua icono em Palma. 

Eu curti muito escrever este blog e dar a você todas as dicas sobre a cidade de Palma de Mallorca que é super interessante.

Quer saber mais coisas ou tem alguma dúvida, é só escrever para  info@eliana-guia.com . Terei muito prazer em esclarecê-la. Achou útil? Por favor, compartilhe com os amigos.

 

Até a próxima vez e muitos abraços de Mallorca,

Eliana Pacifico

Guia Oficial de Turismo das Ilhas Baleares.

 

Meu Facebook e meu Instagram

 

www.eliana-guia.com Blog Feed

O Museu da Catedral de Mallorca (lun, 12 dic 2022)
O Museu da Catedral têm 3 salas que encontram-se no interior deste recinto. Está composto por artes sacras, pinturas medievais, reliquias e peças de ourivesaria. O acesso a este lugar é feito através da Casa de L’Almoina que está ao lado da torre sineira. Neste vestíbulo, no passado, davam-se esmolas aos pobres e doentes. A primeira sala - Sacristia dels Vermells foi construída no começo do século XIV e localiza - se na parte de baixo da torre do sino. Este nome originou-se graças aos meninos cantores que se vestiam aqui com as suas capas vermelhas.  Aqui estão: o original da Virgem do Mirador  (leia aqui sobre os Portais da Catedral) - atribuída a  Guillem Sagrera - escultor e arquiteto maiorquino (1380-1456) - que também foi o responsável  pela construção de La Lonja. A Custodia Mayor - obra de Josep Nicolau e Joaquin Benin entre os séculos XVI e XIX. Foram usadas madeira no corpo central e prata dourada no seu exterior. Está decorada com brilhantes. Outro objeto muito importante é o altar portátil feito em prata que pertenceu ao Rei Jaime I de Aragão, o conquistador de Mallorca. Dentro do mesmo existem pequenos relicários (sem foto). A Sala Capitular Gótica está dedicada basicamente à pintura medieval:  Retábulo dedicado a Santa Eulália de Mérida - obra de Joan Loret (1335). Retábulo de São Sebastião - Alonso de Sedano (1486). Pinturas dedicadas à Virgem do Manto e ao Calvário (século XV) (sem fotos). No centro desta sala está a sepultura de Gil Sanchez Muñoz y Carbón (1370, Teruel-1447, Mallorca) que era o Antipapa Clemente VIII.  Ele foi um dos bispos de Maiorca e, no teto, de acordo com a sua vontade, está o seu chapéu decorando o recinto. A terceira e última sala é a Capitular Barroca. Ela foi inaugurada em 1701. O seu formato é elíptico e a sua abóboda é muito decorada. Aqui encontraremos: Dois Crucifixos feitos com marfim e que foram doados pelo canônigo Castillo no século XVIII. Dois exuberantes castiçais de prata feitos por Joan Roig e Joan Matons no século XVIII na Catalunha. Cada um pesa uns 248 quilos em prata e foram feitos entre 1703 e 1718. Estão compostos por leões e anjos. O relicario da Vera Cruz (século XVI). Além destes tesouros o visitante verá uma maquete de um braço no qual foi inserido um osso que pertence a São Sebastião, padroeiro de Palma. O relicário de São Pedro feito em prata é considerado uma das obras mais importantes da Catedral. Ele está em uma posição forçada e de lado. É Sant Pere Corbat. De acordo com uma lenda ele ia em uma procissão e quase sofreu um acidente. Para ser evitar ser atingido por um pedaço de um balcão, ele curvou-se milagrosamente. Incrível! Catedral de Mallorca Plaza de la Almoina s/n   Horários: De segunda-feira a sexta-feira : 10 hs a 17:15 hs Sábado: 10 hs a 14:15 hs Domingo: fechado.   Muito obrigada pela presença. Se curtiu, por favor, compartilhe este texto.  Mallorca é uma Ilha fantástica e cheia de surpresas. Até o próximo Eliana’s Blog.   Abraços de Mallorca, Eliana Pacifico Guia Oficial de Turismo das Ilhas Baleares Meu Facebook e meu  Instagram
>> Leer más

Cala Mondragó (Sun, 09 Oct 2022)
O verão 2022 foi muito caloroso. Mallorca viveu temperaturas extremas. Durante muitos dias tivemos a sensação térmica de que havíamos ultrapassado os 40 graus. As praias da Ilha, mais de 200, ficaram abarrotadas. Eu estive visitando algumas acompanhando os meus clientes. Assim que este Eliana’s Blog eu vou dedicar a umas das praias mais bonitas de Mallorca. Cala Mondragó é considerada, sem dúvidas, uma das melhores praias do sudeste da Ilha. Ela é conhecida também como Caló de Sa Font de N’Alis (nome maiorquino). Têm 75 metros de largura e graças a sua localização as suas areias brancas com águas super cristalinas e tranquilas nos chamam muito a atenção. No desanime se esta praia estiver cheia porque ao lado de Cala Mondragó encontra-se Cala S’Amarador com uma extensão de 145 metros. Elas estão unidas através de um passeio. Em ambas existem sombrinhas de praia e espreguiçadeiras para serem alugadas. Também existem bares, restaurantes e serviço de salva-vidas durante o verão. Você também poderá trazer a sua própria comida e comê-la em uma área habilitada para os piqueniques. Outra boa noticia é que as duas praias possuem Bandeira Azul, o que significa limpeza, segurança e alta qualidade das suas águas. Este distintivo é otorgado pela Comunidade Econômica Europeia.   Não se esqueça de visitar o Parque Natural de Mondragó. Ele localiza-se entre as duas calas e é uma das grandes joias naturais de Mallorca. Possui mais de 700 hectares e os seus 4 itinerarios podem ser percorridos a pé ou em bicicleta. Além de ter uma extensa região com pinheiros, vegetação nativa, muros de pedra seca,este habitat é usado pelas aves migratórias devido à privilegiada localização em Mallorca.Ele foi declarado Parque Natural em 1992. Como chegar até este paraíso? Desde Palma você deve se dirigir a Santanyí e se desviar a Sa Alqueria Blanca e seguir as indicações até o parque. Existe estacionamento que não é gratuito.  Outra possibilidade é ir com o transporte público desde a Estación Intermodal em Palma com as linhas do TIB 501 ou 515 até Cala D’or. Depois com a linha 521 até este destino. O tempo de viagem é de aproximadamente 2 horas. O acesso às praias é feito em 5 minutos desde o parking. Espero que tenham curtido um pouco mais desta Ilha que admiro tanto. Obrigada pela presença.   Até o próximo Eliana’s Blog. Abraços de Mallorca Eliana Pacifico Guia Oficial de Turismo das Ilhas Baleares   Mi Facebook e Instagram
>> Leer más

Escribir comentario

Comentarios: 0